Header Ads

COMO FUNCIONA O JEJUM NO SEU CORPO? Saiba como o seu corpo é perfeitamente adaptável!!



Glicose e gordura são as principais fontes de energia do corpo. A glicose é a fonte de combustível mais facilmente acessível para o corpo. No entanto, se a glicose não está disponível, o corpo pode ajustar, mudando para o metabolismo de gordura, sem efeitos prejudiciais para a saúde.
Isso é simplesmente uma parte natural da vida. Períodos de baixa disponibilidade de alimentos sempre fizeram parte da história humana e mecanismos evoluíram para se adaptarem a esse fato da vida paleolítica. A transição do estado alimentado para o estado de jejum ocorre em várias fases.

 Alimentação - Durante as refeições, os níveis de insulina são aumentados. Isto permite a absorção de glicose em tecidos tais como o músculo ou cérebro a ser utilizado diretamente para a energia. O excesso de glicose é armazenado como glicogênio no fígado.


 A fase pós-absorção - 6-24 horas após o início do jejum. Os níveis de insulina começam a cair. A quebra de glicogênio libera glicose para a energia. 

As reservas de glicogênio duram cerca de 24 horas.

 Gluconeogênese - 24 horas a 2 dias. 
O fígado fabrica nova glicose a partir de aminoácidos em um processo chamado "gliconeogênese". Literalmente, isso é traduzido como "fazer nova glicose". Em pessoas não diabéticas, os níveis de glicose caem mas permanecem dentro do intervalo normal.

 Cetose - 2-3 dias após o início do jejum. Os baixos níveis de insulina atingidos durante o jejum estimulam a lipólise, a quebra de gordura para a energia. 

A forma de armazenamento de gordura, conhecida como triglicerídeos, é quebrada em forma de glicerol e três cadeias de ácidos graxos. Glicerol é usado para a gliconeogênese. 
ilustração células de gorduras.
 Fonte: http://www.philly.com/philly/blogs/goal-getter-nutrition/How-do-fat-cells-work.html



Os ácidos graxos podem ser usados ​​diretamente para a energia por muitos tecidos no corpo, mas não o cérebro. Corpos cetônicos, capazes de atravessar a barreira hemato-encefálica, são produzidos a partir de ácidos graxos para uso do cérebro.


 Após quatro dias de jejum, aproximadamente 75% da energia usada pelo cérebro é fornecida por cetonas. Os dois principais tipos de cetonas produzidas são beta-hidroxibutirato e acetoacetato, que podem aumentar mais de 70 vezes durante o jejum.


   Fase de conservação de proteínas -  5 dias - Altos níveis de hormônio do crescimento mantêm a massa muscular e os tecidos magros. A energia para a manutenção do metabolismo basal é quase inteiramente coberta pelo uso de ácidos graxos livres e cetonas. O aumento dos níveis de noradrenalina previne a diminuição da taxa metabólica.

Você notará que há um período de tempo durante a gliconeogênese (etapa 3) que a proteína está sendo usada para produzir glicose. 


Muitos têm interpretado de forma que o corpo "queime músculo" para fornecer glicose. Isto não é realmente o que acontece. Durante este período, o excesso de proteínas é realmente utilizado para a glicose. Mas isso não é necessariamente vindo dos músculos. Existem tecido conjuntivo, pele, células velhas e outras peças de células que podem ser destruídas. Este é o processo de autofagia, cuja eficiência está sendo testada pela ciência e comprovado seus benefícios.

Além disso, após este período de repartição, o corpo vai reconstruir todas as proteínas necessárias que foram utilizados. Isso completa o ciclo de renovação celular. É como renovar sua cozinha. Você não pode simplesmente construir armários velhos em cima de novos. Você primeiro precisa remover para os antigos. Assim, a repartição de proteínas antigas é necessária para a renovação das células. Se você se concentrar apenas na divisão, você vai perder todo o ciclo de renovação benéfica. 


O corpo humano tem mecanismos bem desenvolvidos para lidar com períodos de baixa disponibilidade de alimentos. Em essência, o que estamos descrevendo aqui é o processo de troca de queima de glicose (curto prazo) para a queima de gordura (longo prazo). 

A gordura é simplesmente a energia de alimento armazenada do corpo. Em tempos de baixa disponibilidade alimentar, os alimentos armazenados são liberados naturalmente para preencher o vazio. 


Então não, o corpo não "queima músculo" em um esforço para se alimentar até que todas as reservas de gordura são usadas.Se isso fosse verdade, você teria que acreditar que o corpo humano é tão incompetentemente projetado que nós armazenamos energia alimentar como glicose e gordura, mas usamos proteína assim que não há alimento. 

Hã? Isso é como armazenar lenha para o inverno e depois cortar seu sofá e queimá-lo assim que a temperatura cai, deixando toda a lenha intacta. 

Além disso, considere todos os povos aborígenes, inuit, povos nativos que repetiram ciclos rápidos / fome.
Se todos os músculos fossem queimados, eles  todos não seriam bolinhas de 100% de gordura?
É engraçado como isso não aconteceu.




Traduzido e adaptado por Flávia Trajano
Edição de Imagens: Flávia Trajano
Criadora da Fan Page e administradora do grupo : JEJUM INTERMITENTE SEM MITOS

Fonte: https://www.dietdoctor.com/fasting-affects-physiology-hormones/ Dr Andreas Eenfeldt, MD

Artigo original (AQUI)


3 comentários:

  1. Bom dia! Estou iniciando com jejum de 16 horas. Com esse número de horas já se poder notar alguma melhora para quem deseja perder massa gorda?

    Abraços!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.